COVID-19: Volunteers in Dili helping disinfect cars and buildings in great show of community solidarity

COVID-19: Volunteers in Dili helping disinfect cars and buildings in great show of community solidarity

 

By António Sampaio, Agência Lusa

Dili, April 7, 2020 (Lusa) - Every day, in the morning and in the afternoon, a growing group of volunteers from the Tasi Mos Movement, Timor-Leste's main environmental organization, takes to the streets with sprayers to help disinfect cars and buildings in the Timorese capital.

“We started with just 10 people and now we are 30. And more and more people, from the community, are helping us with the materials, equipment, and donations”, shared Gally Soares Araújo, the main ‘voice’ of the Tasi Mos Movement (MTM).

The initiative started about three weeks ago, even before the country entered a state of emergency, with a small team working on the main streets of the city and offering free disinfection spray to the interior and exterior of cars.

The initiative gained momentum and more volunteers joined, among them is Mariano Sabino, President of the Democratic Party (PD) who joined in to help spread the word and support this great community work.

Gally Araújo explains that with the imposition of state of emergency on March 28, more people got together and the joined this initiative of disinfecting cars, commercial spaces, and buildings of great crowds.

“The community continues to help with the materials that they deliver to us. We mainly use a bleach-based mixture and, when there is - it is practically exhausted - some disinfectant or alcohol available,” he explained. The mixture is made based on the guidance of Australian Outbreak Control Center.  

MTM teams work in two shifts - spraying cars and other vehicles in the morning and buildings in the afternoon. "We want to target cars, where people travel the most, but also places where there is a large circulation of people, even hospitals and health centers that also lack support for cleaning and disinfection," he explained.

Based on the popularity of this initiative, communities and individual are contributing donations to buy more equipment and materials. The team already has 12 spray pumps of 15 liters each, which are filled "four or five times" daily, he noted.

“In the first few days people were skeptical because there was no state of emergency and they didn't know what was going on, but with maximum support from PNTL, we managed to improve in terms of the perception of those who are sprayed”, he said.

"Today people are more aware that the outbreak has devastating impact and can spread through less noticeable ways, such as though surfaces of cars," he said.

The idea is, eventually, to also reach out to the local markets, even though it has to be in a different way given the sale of food, vegetable, and fruits.

Gally Soares Araújo said that the initiative will continue and noted that this week, unlike the first in a state of emergency, there will be more movement on the streets.

“What we've noticed since this week is that there is more flow of traffic and people. Last week there were more restrictions, but this week we have a lot of people going around, almost double or triple the number of the week when emergency was declared”, he recalled.

Timor-Leste has one confirmed case of covid-19 so far. The new coronavirus, responsible for the covid-19 pandemic, has already infected more than 1.3 million people worldwide, of whom more than 73,000 have died.

After appearing in China in December, the outbreak spread across the world, prompting the World Health Organization (WHO) to declare it a pandemic.

--------------------------------------------------------------

Voluntários em Díli ajudam diariamente a desinfetar carros e edifícios

 By António Sampaio, da Agência Lusa

 Díli, 07 abr 2020 (Lusa) – Todos os dias, de manhã e de tarde, um crescente grupo de voluntários do Movimento Tasi Mos, a principal organização ambiental de Timor-Leste, sai à rua com pulverizadores para ajudar a desinfetar carros e edifícios na capital timorense.

“Começámos com apenas 10 pessoas e agora já somos 30. E são cada vez mais pessoas, da comunidade, que nos ajudam com material”, explicou à Lusa Gally Soares Araújo, a principal ‘voz’ do Movimento Tasi Mos (MTM).

A iniciativa começou há cerca de três semanas, mesmo antes do país entrar em estado de emergência, com uma pequena equipa a instalar-se nas principais ruas da cidade e a oferecer desinfeção ao interior de carros.

A ação foi ganhando notoriedade e juntaram-se mais voluntários, entre eles Mariano Sabino, presidente do Partido Democrático (PD) que se juntou num dos dias para ajudar a pulverizar, mediatizando a iniciativa.

Gally Araújo explica que com a entrada em vigor do estado de emergência, a 28 de março, mais pessoas se juntaram e a ação passou de desinfetar carros para desinfetar outros espaços e edifícios de grande aglomeração de pessoas.

“A comunidade continua a ajudar com material que nos entregam ou que pedem para ir buscar. Usamos uma mistura à base de lixívia e, quando há – está praticamente esgotado – algum desinfetante ou álcool”, explicou.

A mistura é feita com base no centro de controlo de surtos australiano, mas em estudo está já uma solução local, que passa por criar uma mistura à base de produtos naturais que usa uma das bebidas tradicionais do país, o tua sabu, uma aguardente local de palmeira.

“Já tivemos uma primeira amostra deste produto e estamos a testar”, explicou.

As equipas do MTM trabalham em dois blocos, concentrando-se na parte da manhã na pulverização de carros e outros veículos e à tarde em edifícios.

“Queremos visar os carros, onde as pessoas circulam mais, mas também locais onde há grande circulação de pessoas, até os hospitais e centros de saúde que também carecem de apoios de limpeza e desinfeção”, explicou.

A equipa tem já 12 bombas de pulverização de 15 litros cada, que diariamente são cheias “quatro ou cinco vezes”, notou.

“Nos primeiros dias as pessoas ficaram céticas porque não havia estado de emergência não sabiam bem o que se estava a passar, mas com apoio máximo da PNTL, conseguimos melhorar em termos de percetibilidade de quem é pulverizado”, disse.

“Hoje as pessoas estão mais cientes que o surto tem um impacto devastador e pode-se alastrar por vias menos notórias, como nas superfícies dos carros”, referiu.

A ideia é, eventualmente, chegar também aos mercados, ainda que aí tenha que ser de uma forma diferente, dada a venda de alimentos.

Gally Soares Araújo disse que a iniciativa vai continuar e nota que esta semana, ao contrário da primeira de estado de emergência, para haver mais movimento nas ruas.

“O que notamos desde esta semana é que houve mais circulação. Na semana passada havia mais restrições, mas esta semana temos muita gente a circular, quase o dobro ou triplo”, recordou.

Timor-Leste tem até agora um caso confirmado de covid-19.

 O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 73 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

 

ASP//MIM

Lusa/Fim


Print   Email